Política editorial

Com periodicidade semestral (junho e dezembro), a Revista M. publica artigos originais e inéditos, provenientes de áreas como: antropologia, arquitetura, artes, direito, filosofia, geografia, história, medicina, psicologia, saúde coletiva, sociologia, urbanismo, que não tenham sido submetidos a outras revistas. Em alguns casos, publica textos de autores convidados, cuja edição original esteja em inglês ou francês, traduzindo-os para o português, com objetivo de permitir o acesso dos leitores latino-americanos a algumas das produções de referência redigidas originalmente em outros idiomas. Aceita submissão de textos em português, espanhol, inglês e francês, privilegiando a publicação nos dois primeiros idiomas e, na medida do possível, traduzindo os recebidos nos dois últimos para o português, em caso de serem aprovados para publicação.

 

POLÍTICAS DE SEÇÃO

Nossa revista recebe colaborações em fluxo contínuo, exclusivamente on-line, através do acesso ao programa de SUBMISSÃO, disponível no site: http://www.revistam-unirio.com.br/. Colaborações que podem ser dirigidas a três seções:

  • Artigos: destinada a textos analíticos que resultem de investigações e estudos relativos a diferentes formas de abordagem do tema. Para esta seção, são aceitos artigos submetidos, preferencialmente, por doutores. São recebidos sob duas formas: os destinados a dossiês temáticos propostos e organizados por especialistas, com chamada aberta no site da revista, e os artigos livres, que podem ser submetidos em fluxo contínuo. Serão recebidos em fluxo contínuo. O texto deve conter entre 50 mil e 70 mil caracteres com espaço, incluindo as notas de rodapé e as referências bibliográficas completas, que devem ser listadas em ordem alfabética ao final do artigo.
  • Em Campo: voltada para relatos de trabalhos de campo e/ou experiências metodológicas no manejo da temática, envolvendo entrevistas, transcrições de fontes comentadas. A submissão de textos que envolvem seres humanos, direta ou indiretamente, deverá ser acompanhada da autorização da “cessão de direitos sobre depoimento oral” ou, se for o caso, de cessão de direitos de divulgação de imagem para a Revista M. O texto deve conter entre 20 mil e 40 mil caracteres com espaço, incluindo as notas de rodapé e as referências bibliográficas completas, que devem ser listadas em ordem alfabética, no final do texto.
  • Resenhas: de obras que tenham sido publicadas, no máximo, há três anos no Brasil (ou quatro anos para publicações internacionais), ou de títulos esgotados e com reedição recente. Respeitando a abordagem sobre a Morte, os Mortos e o Morrer também podem ser submetidas resenhas acerca de outras expressões da cultura, tais como filmes, documentários, exposições, peças teatrais etc. O texto deve conter entre 10 mil e 18 mil caracteres com espaço, incluindo as referências bibliográficas completas (se for o caso), que devem ser listadas em ordem alfabética, ao final.

 

PROCESSO DE AVALIAÇÃO POR PARES

Assim que é recebida uma submissão de Artigos, Em Campo ou Resenhas, o Conselho Editorial avaliará se o texto se enquadra na proposta temática da revista e se segue as normas de publicação aqui estabelecidas. Caso não siga as regras, o mesmo será devolvido ao autor para que faça os ajustes necessários. As contribuições para as seções Em Campo e Resenhas serão avaliadas no mérito pelos respectivos editores e pelo Editor-chefe, podendo ser aprovadas ou recusadas nesta instância.

No caso de Artigos, uma vez adequado às normas da Revista M., será retirada a identificação de sua autoria e o mesmo será encaminhado a dois pareceristas ad hoc (que sejam doutores e especialistas na temática abordada), indicados pelo Conselho Editorial, de modo a garantir o sistema de avaliação de “duplo cego” por pares. Na sua análise, os pareceristas serão guiados pelo Formulário de Avaliação disponibilizado pela Revista para que realizem o exame dos méritos do trabalho, levando em consideração a abordagem da temática, seu tratamento e a clareza da redação, podendo recomendar ou recusar a publicação. Caso um dos pareceristas recuse a proposta, um terceiro será designado.

A recomendação poderá ocorrer sob duas formas:

  1. Com ou sem sugestões pontuais de alteração (às quais o autor poderá acatar ou não);
  2. Com sugestões de reformulação de parte do texto, que deverá ser reenviado ao(s) respectivo(s) parecerista(s), após a realização das alterações por parte do autor, para  acatamento da nova versão;

A recusa ocorrerá:

  1. Caso os dois pareceristas rejeitem a proposta;
  2. No caso de um parecerista rejeitar e o outro aceitar com sugestões de reformulação do texto;
  3. No caso de os dois pareceristas sugerirem reformulação e a segunda versão do texto enviada pelo autor ser reprovada por um deles ou por ambos;
  4. No caso de o terceiro parecerista recusar o texto ou aceitá-lo mediante reformulações.

A aceitação final do trabalho submetido, portanto, dependerá da recomendação dos pareceristas, da efetivação das alterações necessárias pelo autor e da aprovação final pelo Conselho Editorial.

 

POLÍTICA DE ACESSO LIVRE

A Revista M. é uma publicação eletrônica de acesso livre e gratuito que mantém todos os números publicados on-line. Oferecendo acesso imediato ao seu conteúdo, a Revista segue o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

A Revista M. adota a licença do Creative Commons CC-BY, em consonância com as diretrizes políticas dos principais periódicos de acesso aberto. Esta licença permite que a reprodução dos textos seja feita de variadas formas, desde que se faça citação à autoria e à publicação original. Indicamos a página do Creative Commons: http://creativecommons.org/ para o caso de dúvidas.

 

ARQUIVAMENTO

A Revista M. é produzida por meio da plataforma Open Journal System (OJS), que é um software livre, desenvolvido pelo o Public Knowledge Project (PKP) da British Columbia University do Canadá, para produção e gestão de periódicos eletrônicos. Este sistema foi traduzido e customizado, no Brasil, pelo IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia) e, desde 2003, promove o uso do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) para a produção de revistas eletrônicas, a exemplo da Revista M..

O Open Journal Systems é compatível com o sistema LOCKSS (“Lots of Copies Keep Stuff Safe”; ou seja, “Muitas Cópias Mantém as Coisas Seguras”) para garantir a preservação segura e permanente de sua revista. LOCKSS é um software livre desenvolvido pela Biblioteca da Universidade de Stanford, que permite preservar revistas online escolhidas ao sondar as páginas das mesmas por conteúdo recém-publicado e arquivando-o. Cada arquivo é continuamente validado contra cópias de outras bibliotecas. Caso o conteúdo esteja corrompido ou perdido, as cópias são usadas para restauração.

 

DIRETRIZES PARA CONFLITO DE INTERESSES

No momento de submissão de seu trabalho, o autor deve declarar a existência de conflitos de interesses. Entendidos como os conflitos que podem advir quando autores, pareceristas ou editores possuem interesses de natureza pessoal, acadêmica, política, comercial ou financeira que venham influenciar a elaboração ou a avaliação de textos. Ao enviar seu manuscrito, os autores se responsabilizam por informar possíveis conflitos financeiros ou de outra natureza que possam ter influenciado seu trabalho. Neste sentido, devem declarar no manuscrito qualquer apoio financeiro recebido para a pesquisa, assim como outras relações comerciais, financeiras ou pessoais.

Com esta menção pelo autor, o Conselho editorial poderá saber sobre potencial conflito de interesses no momento de destinar o texto para avaliação. Por sua vez, os pareceristas devem informar ao Conselho Editorial sobre eventuais conflitos de interesse que venham influenciar a emissão de sua opinião sobre o texto e, neste caso, declarar o impedimento para realizar a avaliação do manuscrito.